Adessu Baixa Verde


Ações e Projetos

 

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO – ATIVIDADES COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

A partir das experiências vivenciadas durante as atividades os anos de 2016 e 2017, do Projeto de Apoio ao Desenvolvimento Rural Sustentável da Serra da Baixa Verde II e do Diagnóstico aplicado nas comunidades atendidas, está sendo identificado um grande número de casos de Abuso sexual e Negligência nos municípios de Santa Cruz da Baixa Verde e Triunfo, Pernambuco.

Diante desses casos, surgiu a necessidade de trabalhar essas temáticas nas comunidades rurais. A ideia de abordar o mesmo tema com as crianças e os pais partiu do princípio de que é necessário que haja a formação tanto dos detentores de direitos quanto dos detentores de deveres.

Através do Projeto Político Pedagógico são realizadas atividades lúdicas e práticas nos 22 agrupamentos, abordando as temáticas: Violência Sexual e Negligência, com a participação ativa de membros do grupo Conquista Jovem (observatório de direitos da ADESSU).

 

 

NÚCLEO DE COMUNICAÇÃO INFANTOJUVENIL

Levando em consideração as inúmeras alternativas de estimular o protagonismo infantojuvenil, a comunicação popular é uma das linhas de ação seguidas pela ADESSU Baixa Verde. Dentre uma diversidade de direitos, que dizem respeito a todo cidadão e cidadã, a comunicação é uma delas, pois além de ser garantida constitucionalmente, é também uma poderosa ferramenta de mobilização social e reivindicação dos demais direitos.

Nessa perspectiva, a associação se propôs a dar possibilidades de ampliação do trabalho desenvolvido pelos adolescentes e jovens, para além do programa de rádio, executado através do Projeto de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável da Serra da Baixa Verde II, dando origem a um núcleo de comunicação infantojuvenil. O núcleo de comunicação, sob a orientação de um profissional de comunicação da instituição produz peças de comunicação e desenvolve ações de reivindicação por meio das diversas ferramentas de mídia.

A criação do núcleo teve ainda o propósito de dar aos adolescentes e jovens a autonomia de estarem inseridos nos processos de acordo com a afinidade de cada um, para cada ferramenta, sem nenhuma imposição, dessa forma se efetiva a política de defesa dos direitos e interesses desse público. Cada adolescente e jovem pode optar pela área de comunicação com a qual se identifica melhor (fotografia, rádio, produção de texto, produção de vídeo), embora tenha acesso livre para produzir nas outras modalidades.

 

 

EXPERIÊNCIA COM PROGRAMAS DE RÁDIO

A história dos programas de rádio na trajetória da ADESSU Baixa Verde tem início anteriormente à sua fundação. Os doze jovens fundadores estavam inseridos no Movimento Sindical, e este, em parceria com todos os sindicatos da região, realizava um programa de rádio, apresentado na rádio Voz do Sertão AM, da cidade de Serra Talhada-PE.

Posteriormente, e com a fundação da ADESSU, a equipe de agricultores e agricultoras desejava manter-se envolvida na realização de um programa de rádio. No entanto, a ADESSU não disponibilizava de recursos financeiros necessários para desenvolver as atividades de um programa de rádio. Sendo assim, o Centro Sabiá propôs parceira, que teve inicio na rádio comunitária Triunfo FM, permanecendo por um determinado tempo.

Quando a ADESSU obteve o apoio financeiro da KNH-Alemanha, a instituição ainda manteve um programa, por conta própria e de forma individual. Como a rádio comunitária não alcançava todo o município de Triunfo, principalmente as comunidades rurais e seus agricultores e agricultoras que eram assessorados pela instituição, a associação resolveu migrar o programa para uma rádio comercial. O programa então passou a ser apresentado na Rádio Cultura FM, em Serra Talhada de 2004 a 2010.

Os programas de rádio oportunizaram principalmente, o desenvolvimento dos jovens, que, ao serem estimulados a participar, perdem o medo de comunicar-se e ganham conhecimento. Além da importância da divulgação em rádio das ações e atividades desenvolvidas pelas ADESSU, tanto nos municípios onde atua, como nos municípios vizinhos, ganhando visibilidade e reconhecimento.

Em 2016, a ADESSU Baixa Verde apostou na retomada do rádio como veículo de reivindicação de direitos, e criou o programa de rádio “Em Sintonia com meus direitos”, produzido e apresentado por adolescentes e jovens de comunidades rurais dos municípios de Santa Cruz da Baixa Verde e Triunfo, Pernambuco. Através do PAS – Projeto de Apoio Situacional, financiado pela KNH Alemanha. O programa permanece no ar, por meio do projeto Apoio ao Desenvolvimento Rural Sustentável da Serra da Baixa Verde II, também apoiado pela cooperação alemã.

 

 

CONSELHO GESTOR

O Conselho Gestor tem como objetivo intermediar as interlocuções das atividades realizadas entre ADESSU e as famílias agricultoras associadas para que se torne mais fácil à comunicação entre eles. Seus membros são os representantes das comunidades rurais, de atuação da instituição. Estes dão apoio a equipe da ADESSU nas atividades realizadas com as crianças, adolescentes, jovens e com os pais e mães, junto às comunidades.

As reuniões do Conselho Gestor acontecem a cada dois meses na sede da instituição, com o intuito de avaliar as atividades realizadas nas comunidades e colher sugestões dos conselheiros em busca de melhorias na execução das atividades vindouras e consequentemente do projeto como um todo.

As atividades são distribuídas entre os membros de modo que cada um se responsabilizaria por sua região. E dentre as ações realizadas estavam à articulação para o desenvolvimento das atividades nas comunidades rurais, colaboração nas respostas das cartinhas para os padrinhos, que eram feitas pelas crianças, e nos eventos comemorativos nas comunidades rurais e na cidade.

 

 

 

 

GRUPO CONQUISTA JOVEM

A ADESSU tem como missão contribuir de forma participativa para o desenvolvimento sustentável através da agricultura agroecológica, da educação e cultura, envolvendo toda a família no exercício da cidadania. Por isso, através dos projetos, busca conscientizar crianças, adolescentes, jovens e famílias, sobre a importância da participação e da luta pelos seus direitos. Nessa perspectiva, ao longo dos anos desenvolve ações que visam a ampliação e o fortalecimento do protagonismo de crianças, adolescentes e jovens para a autoproteção e enfrentamento das violações de direitos presentes no dia a dia das famílias e comunidades.

Diante disso, foram mobilizados adolescentes e jovens, para compor o grupo Conquista Jovem, sensibilizando-os e envolvendo-os estrategicamente em ações de defesa dos direitos das crianças e adolescentes inseridos nos municípios de Santa Cruz da Baixa Verde e Triunfo, mediante processo formativo e atividades práticas. Com a criação do grupo, a ADESSU procura promover ações coletivas para a defesa dos direitos de crianças e adolescentes; observar as principais violações de direitos de crianças e adolescentes na área de atuação da ADESSU e encaminhá-las para as instituições/órgãos responsáveis e capacitar adolescentes e jovens para mobilizar comunidades rurais na luta contra violações como violência sexual e negligência.

 

 

RECURSOS HÍDRICOS

A ADESSU começou a fazer parte da rede Articulação Semiárido Brasileiro – ASA desde a sua criação, em 2000, enquanto Comissão Municipal da ASA na cidade de Triunfo. Também foi uma das Organizações pioneiras na construção de cisternas de 16 mil litros, de forma rotativa, por meio de parceria com o Centro Sabiá. Posteriormente teve a oportunidade de executar outro projeto de construção de 60 cisternas, dessa vez em parceria com o Centro de Educação Comunitária Rural – CECOR.

Nos últimos meses do ano de 2011, a Associação encaminhou um ofício de intenção para ser submetido à Plenária da ASA-PE para apreciação, que após análise e discussão, e levando em consideração a experiência da instituição na contribuição e construção de alternativas de convivência com o semiárido, a ADESSU foi aceita como membro da ASA-PE.

Nos primeiros meses de 2012, foi assinado convênio entre ambas as partes para execução de projeto de construção de cisternas de 16 mil litros. Então, a partir desse convênio, a ADESSU foi indicada como Unidade Gestora Microrregional – UGM, com atuação em 14 municípios do Sertão do Pajeú e Sertão Central, na execução do P1MC em parceria com a ASA. O primeiro convênio entre ADESSU e ASA aconteceu em meados de 2012, para a construção de 800 cisternas no município de Serra Talhada.

Com considerável experiência na construção de tecnologias de captação de água para o consumo, cisternas de 16 mil litros, a ADESSU, em 2013, torna-se Unidade Gestora Territorial – UGT, para execução do P1+2, que tem como objetivo apoiar os agricultores/as na produção de alimentos por meio da construção de cisternas de 52 mil litros, Barreiros Trincheiras e Barragens Subterrâneas.  No mesmo ano firma convênio com a ASA e inicia a construção de 307 tecnologias, recurso financiado pela Petrobrás. Semelhante ao que aconteceu na execução do P1MC, a ADESSU executou mais esse projeto com êxito e qualidade.

Após a conclusão da meta dentro do prazo estipulado e de maneira exemplar, a ADESSU foi contratada novamente, em 2013, para executar um Termo Aditivo de parceria, para a construção de mais 736 cisternas nos municípios de Triunfo, Carnaíba e Quixaba. Semelhante ao primeiro convênio, a ADESSU conclui as metas com qualidade e de acordo com o planejamento. Ainda em 2013, a ADESSU firmou parceria com o Centro de Habilitação e Apoio Araripe ao Pequeno Agricultor do Araripe – CHAPADA, com sede na cidade de Araripina, no Sertão do Araripe, para construção de 600 cisternas no município de Salgueiro.

Em 2014 firmou novo convênio com a ASA, tendo como financiador o Banco Nacional para o Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, para construção de 320 tecnologias. O resultado não foi diferente. A ADESSU concluiu sua meta dentro do prazo e de forma excepcional.

Ainda nesse ano, a ADESSU assinou mais um contrato junto à ASA, para execução de mais 1.023 cisternas no município de Serra Talhada. Paralelo à execução desse contrato, firmou também parceria com o Núcleo de Educadores Populares do Sertão de Pernambuco – NEPS, com sede na cidade de Dormentes, no Sertão do Araripe, para construção de 100 cisternas no município de Triunfo.

Em 2015, com o aumento da crise política e financeira que se instalou no país, o Governo Federal teve que cortar parte dos recursos destinados ao programa de cisternas. Em função desses cortes, muitas Organizações não puderam executar projetos de cisternas neste ano, inclusive a ADESSU.  Em dezembro de 2015, a ADESSU assinou contrato com a ASA com meta de 750 cisternas, iniciando em janeiro de 2016. Porém, devido ao agravamento do cenário político e econômico no país, somente foram repassados pelo Governo Federal, recursos para construção de 410 cisternas, ficando ainda um total de 340 a serem construídas numa outra etapa. Somando ao todo, 3.669 cisternas de 16 mil litros construídos.

Com esforço, dedicação e sendo reconhecida pela sua capacidade, compromisso, responsabilidade e qualidade no que faz, a ADESSU novamente foi indicada em 2016 para execução de um projeto em parceria com a ASA, também com financiamento do BNDES, para construção de 170 tecnologias de captação de água.

 

Desde que se tornou UGM e, posteriormente UGT, a ADESSU melhorou consideravelmente a vida de centenas de famílias e, consequentemente, de milhares de pessoas, por meio do acesso à água potável, trazendo segurança alimentar e autonomia para as mulheres, visto que são elas quem historicamente fazem a gestão da água no convívio familiar.