Adessu Baixa Verde


Notícias

Projeto leva para escolas municipais formações sobre a prevenção e o combate a violência sexual infantil


Formação com crianças e adolescentes na escola municipal Manoel Pedro,                                 Bom Sucesso, em Santa Cruz da Baixa Verde.

 

A equipe do projeto “Crianças e adolescentes dizendo não a violência sexual”, executado pela ADESSU Baixa Verde, com o financiamento do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente – CEDCA, realizou nos meses de junho e julho, formações com pais, mães, professores, crianças e a adolescentes sobre a autoproteção das crianças e o papel dos detentores de deveres na prevenção e identificação de possíveis casos de violência sexual.

O projeto atua diretamente nas escolas municipais Manoel Pedro e Júlio Balbino em Santa Cruz da Baixa Verde, e nas escolas Maurício Cândido (distrito de Jericó) e Fortaleza, em Triunfo. No mês de junho, as formações aconteceram com pais, mães e comunidade escolar, reforçando o poder do diálogo entre as famílias e o trabalho conjunto de pais, mães e professores para reconhecer e encaminhar possíveis casos, além de se reconhecerem como responsáveis pela proteção das crianças e adolescentes.

Em julho, as crianças e adolescentes puderam conhecer mais a temática da violência sexual, na perspectiva da autoproteção. A equipe desenvolveu atividades lúdicas para que o público aprendesse a se reconhecer como dono do próprio corpo e sujeito de direitos.

A violência sexual infantil ainda é um tema considerado tabu, pelo preconceito e pelo silêncio das vítimas, que sem sempre compreendem exatamente o que está acontecendo com elas, e também das famílias que sentem vergonha ou não sabem como lidar com a situação.

As escolas e demais instituições podem contribuir de muitas formas para o combate a esse tipo de violência: oferecendo informações às crianças para que elas consigam entender quando estão expostas a uma situação perigosa ou que possa se configurar como abuso sexual; sensibilizando os familiares ou responsáveis pela educação das crianças, demonstrando o quanto é importante desenvolver maneiras de fortalecer o seu filho contra o abuso sexual, com uma relação e confiança e treinando o olhar dos educadores para que eles identifiquem casos de violência doméstica e de abuso sexual.